varrição

os amantes eletrizados
vagueiam à procura de ninho e
andam cegos, andam soltos,
plenos de energias e raios

prestes a cair; e vontade de morrer
e se enterrar um no outro.
no banco da praça vazia da cidade deserta,
bem no fim da noite e começo do dia.

o banco frio e úmido, não percebem.
seus corpos estudam a melhor estratégia;
se acomodam, se molham, se enrijecem,
canibalismo treslouco anunciado.

a porta conservadora de uma casa azul e branco colonial
escondia vassoura bastante prestimosa.
antecipando o horror acordou sua dona, mui religiosa
e varreram para muito longe dos desejos de todos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s