Passada

Sob a ponte que passava
Tempo breve
Pude ler às pressas
Um apelo, uma ameaça.
A boca sopra
Música ou Dor
Depende dos ventos
Que o coração tocam.
Uma agulha longa
Engana ser fina.
O passado é rombo.
E se alonga…
Sob a sombra rápida da ponte,
Muitos anos vividos.
Vidas em ondas viveram
No presente envelhecido.
A boca suspira
Música ou Dor
Depende dos sonhos
Desejados e vividos.
Não vi ao meu lado; não vi.
Tantas bocas surpresas.
Ignorei as de motivos contrários.
Senti o comum, na brevidade.
Sob a ponte cheia de marcas
Breve sombra entre dois sóis,
Como marcas nos calendários.
Folha fina. Folha pesada.
Minha boca, muda saiu,
Meus olhos, cegados
Lembranças de mundo distante,
Fissuras contidas.
Uma vida sob a ponte!
Os olhos mal se lembravam.
Só o escuro entre presentes.
E o pequeno fungo que pensava.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s