Palavras

As palavras desistiram.
Ásperas, limam os momentos
até consumi-los em uivos
e tormentos.

( Eu os ouço, sempre distantes.
boas rotinas protegem!
E as dores afinadas
chegam em ondas).

Não cumprimentam mais,
fingem-se estrangeiras.
E as que são,
escurecem sentidos.

Saíram para desertos
onde o silêncio incita.
E demônios…suas línguas
tecem laços.

É preciso resgatar as palavras
e nos salvar todos.
Haverá uma de sentido único
gravitando esperança neste mundo?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s