Mãos

Trago nas mãos vazias
Unhas tortas, grandes
Dedos nus, nodosos,
Umas vontades;

Tenho apenas as mãos.
Estão vazias, abertas.
Nos braços longos,
Pontas distantes,
Dedos recolhidos
Apertam uns sonhos,

Minhas mãos,
Expostas aos meus olhos

Que lembranças guardam?

Linhas superficiais… lisas

Entrecortadas por rios
Secos, sem destinos ou sorte.

Olhar parado…olhar longo
Como mudam tão rápidas!
Tão rápidas que… serão minhas?

Minhas mãos à frente respondem
Aos mais íntimos comandos.
Como antenas angustiadas:
Sim, minhas mãos sou eu!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s