Insignificância

Se chego triste e taciturno em casa
E não recebo carinho de lá,
Uma dor que reforça minha mágoa
Emoldura a indiferença que há.
A mobília que vejo brilhar
Em cenário de artifícios felizes,
Reforça minha insignificância
Estampada em diferentes matizes.

Um espirito forte indignado
Bravo, resiste em corpo desdenhado.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s