Definição

Numa tarde de domingo
Dia consagrado à morte
Desejou mudança na sorte.

Daquele dia em diante
Seria apenas palavra.
Corpo em letras formado
Transportando uma ideia.

Sua ideia tinha um nome
Igual a muitos.
Mas sabia ser ela a única
Daquela palavra.

Ficou fácil entender
Sendo o corpo só nome
Todo movimento expressava
Uma clara opinião.

Palavras andam soltas
Formadas sem convicção.
Esbarram umas nas outras
Vazias, sem combinação.

Ideias que divergem e
Obrigam-se a conviver
Às vezes não se combatem
Mas fica triste viver.

Há palavras em negrito
Represam ideias em conflito.
Palavras que se torcem
Ideias em regressão.

Outras em doçura se desfazem
Mal disfarçam o odor
Aguardam dissimuladas e
Desmancham-se em cadáveres que são.

Mas há as interessantes, algumas
Que, com nossas letras
As ideias formam rimas
E os assuntos, boa emoção.

Um nome, por si, acaba esquecido.
Se vazio de alma
É emprestado a outros.
Palavras exigem matéria para sobreviver
O corpo tem letras concretas
Significam desejo e prazer.
Impossível viver no mundo das ideias, apenas.
Assim, luto na segunda.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s