Brevidade

Quando vejo que ao meu lado vivem,
Tantas almas juntas em breve instante,
Passado e presente que convivem
Misturados em Tempo vigilante,
Não sei se meus olhos estão abertos
Nem se, à frente, está a realidade.
Somem uns, surgem outros, de repente,
Semeadura e colheita sem idade.
Enquanto estes olhos anoitecidos,
Não percebem a própria brevidade.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s