lavra Letras

Pega da tinta e traça
letras torcidas sem pauta.
Sentindo nas frases tortas
a própria natureza-morta.

Lavrador de mãos lisas,
ignora a dureza da lida.
Não basta pegar enxada,
e garantir bela florada.

Lá vai ele outra vez!
Cego em nova tentativa.
Medita limpando a mente:
sulca, revolve, irriga, mas
terá boa semente?

Pega da tinta e risca,
risca, rasga e apaga,
amontoa palavras divergentes,
expectativas ofuscadas!

Analfabeto de sentimentos,
soletra vaga emoção.
Manda a mão para o castigo
encontre lá a solução.

Com palavras combinadas,
Coloca vírgulas e pontos.
E o retrato caricato surge,
De figura ensimesmada.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s