Existir

A parceria tem seus prazeres e regras
Codificadas;
minha morada, pouca prosa
temporada ligeira.

Quem não vejo e acredito ser
viaja sem paralelos e esbarra
nos limites químicos dos impulsos.
Transformados em desejos.

O Tempo, imperturbável ,exige
submissão às suas demãos
cada vez mais fortes por pouca tinta;
e secam moldando fissuras.

O horizonte em seus azuis diversos
e verdes molduras que não nos cansa.
Lentamente doura e desencanta e esfria.
Sob brisa densa dos anos.

Dualidade, palavra nada poética
entre água nobre pensante
e a força bruta animal.
A poesia permite reflexão.

O amanhã sempre haverá; sem testemunhas.
Como desenhamos quando crianças:
uma certeza retilínea como rojão
num futuro eterno, até ser brilhante.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s