Despedida

E, no entanto, eu estava ali
Convidado do destino
Premiado para o encontro
Na partida esperada; não agora.

O quarto era o mesmo
A cama era a mesma
As mãos zelosas, também.
Rezas alheias vinham de longe.

Borbulhas engoliam os pensamentos e
O olhar cinza que nada via
Lucidez restante angustiada
De um corpo que se extinguia.

A cabeça se volta resignada
Esforço último pela vida
Dominado por gemido incontido
Antevê paraíso desejado.

Mãos amigas acariciam
Em paz doída surpreendente
Consolo da liberdade alcançada
Carinho derradeiro de despedida.

Com cuidado, levo lembranças.
Acomodo seu desenho ao traço final.
Rosto sério, cabelos brancos repartidos.
Muitas histórias vividas, agora esquecidas.
Apenas por nós queridas e guardadas.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s