Cordel do dia a dia

Como se faz um cordel?
Junte palavras com mel
Ponha um pouco de verdade
E conquiste a cidade
Fale um pouco de maldade
Bem perto do coronel.

Fale bem ou fale mal
Do padre ou do prefeito
Deixe sempre seu sinal
E conquiste o respeito
De quem gosta de malfeito
Incendiando o arraial.

Gente sem urbanidade
A cidade está cheia
Há sempre um bom motivo 
Pra não fazer cara feia.
Sendo gentil e simpático
Conquista graça alheia.

De precisar de doutor
Todo mundo tem pavor
Tenha ele anel no dedo
Seja ele operador
Com dinheiro ou com vida 
Tudo é muito assustador.

Numa roda de amigos 
Sempre tem um animado.
Boquirroto, fala muito 
Tem segredos revelados.
Causa risos escondidos,
Olhos brilhantes, malvados.

Lá em casa tem um cão 
Peludo e avermelhado.
Já beirando quinze anos
Só late desafinado.
Tá surdo, cego e sem dentes
Mas é amigo bem chegado.

Agora vou terminando 
Esses versos mal juntados
Estava experimentando
Esse jeito ritmado
De falar do dia a dia 
Como uma poesia. 

Dou bom-dia ou boa-noite
E até breve talvez.
Se aparecer novidade
Começo tudo outra vez
Passando mel nas palavras
Todas em bom português.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s